O impacto do financiamento do sector da saúde em Moçambique

No passado mês de Junho, foram disponibilizados os 3 estudos realizados no âmbito da pesquisa sobre o impacto do financiamento do sector da saúde na equidade no acesso, qualidade dos cuidados e garantia do direito universal à saúde em Moçambique, com particular ênfase na cidade de Maputo.

Promoção dos CSP

"Os resultados deste estudo revelaram alguns elementos que permitem relacionar a profundidade e extensão das desigualdades sociais em saúde em Moçambique com a severidade dos problemas de saúde no país."

Os estudos foram realizados entre 2021 e 2023 e liderados por uma equipa de investigação do Grupo de Pesquisa Desigualdades em Saúde, Ecologia - Rede de Condições de Emprego (GREDS-EMCONET), da Universitat Pompeu Fabra (UPF), de Barcelona. E contaram com o apoio científico e técnico da medicusmundi e do Instituto Nacional de Saúde (INS), membro fundador e entidade colaboradora da Aliança para a Saúde, respectivamente.

 

Os 3 estudos disponíveis são:

  1. Financiamento do Sistema de Saúde de Moçambique (PDF)
  2. Impacto dos modelos de financiamento na equidade no acesso, qualidade dos cuidados e garantia do direito universal à saúde em Moçambique (PDF)
  3. Satisfação e percepção dos utentes de serviços de saúde em Maputo sobre a qualidade do cuidado (PDF)
O seu conteúdo é da exclusiva responsabilidade dos seus autores e não reflecte necessariamente as opiniões dos doadores.

Esta pesquisa foi realizada com o apoio financeiro da Open Society Foundations (OSF) – apenas no estudo 1 – e da Agência Espanhola de Cooperação Internacional para o Desenvolvimento (AECID) – nos 3 estudos –, no âmbito do Convénio 18-CO1-1096 «Melhorar a saúde da população, com incidência nos seus Determinantes Sociais e especial enfoque na nutrição, através do fortalecimento dos Cuidados de Saúde Primários como a melhor estratégia para garantir o Direito à Saúde e a colaboração da sociedade civil, das instituições de pesquisa e do SNS», financiado por esta última.